terça-feira, 27 de junho de 2017

SÉRIE: The Keepers

The Keepers é uma série documental da Netflix, sobre a investigação real do assassinato da freira Cathy Cesnik, ocorrido em 1969 nos Estados Unidos. Mesmo após tantos anos, o caso até então não tinha sido solucionado. Até que duas mulheres decidem investigar por conta própria e o que descobrem vai muito além do que parece. Os assuntos principais da série são pedofilia, assassinato, corrupção e religião.


A série possui apenas 1 temporada, dividida em 7 episódios com duração média de uma hora cada.  No primeiro episódio, temos uma visão geral de quem era Cathy e o que aparentemente aconteceu. Ao longo dos episódios a série se aprofunda nas entrevistas das testemunhas, trazendo novidades e surpresas ao telespectador.


No geral, gostei da série, apesar de ficar um pouco incomodada como as coisas se deram no final, é uma série bem intrigante. É daquele tipo de série que você mal termina de assistir um episódio, já quer iniciar o próximo. Não recomendo para quem não gosta de séries "paradas", pois as coisas acontecem de forma bem lenta e os episódios são longos. Mas se você não se incomoda com isso e gosta de séries com fatos reais, recomendo que você assista pelo menos o primeiro episódio e veja se te agrada.
Nota: ★ ★ ★ ★ ☆

segunda-feira, 26 de junho de 2017

15 filmes de terror recomendados pelo Stephen King

Está afim de assistir um bom filme de terror e não sabe qual escolher? Nada melhor do que o mestre do terror para te dar algumas inspirações. A lista abaixo são dos 15 filmes de terror indicados pelo Stephen King.



A Autópsia (The Autopsy of Jane Doe)

A Bruxa de Blair (The Blair Witch Project)

A Colina Escarlate (Crimson Peak)

Madrugada dos Mortos (Dawn of the Dead)

Do Fundo do Mar (Deep Blue Sea)

Abismo do Medo (The Descent)

O Enigma do Horizonte (Event Horizon)

Premonição (Final Destination)

A Morte Pede Carona (The Hitcher)

A Última Casa à Esquerda (The Last House on the Left)




O Nevoeiro (The Mist)

As Ruínas (The Ruins)

Ecos do Além (Stir of Echoes)

Os Estranhos (The Strangers)

A Bruxa (The Witch)


quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

LIVRO: Fantasmas do Século XX - Joe Hill


Este é o quarto livro de Joe Hill (outras resenhas: O Pacto e Nosferatu) e o primeiro com a coletânea de 15 contos do autor, segue abaixo os títulos:

  • O melhor do novo horror
  • Fantasma do século XX
  • Pop Art
  • Vocês irão ouvir o canto do gafanhoto
  • Os meninos de Abrahah
  • Melhor do que lá em casa
  • O telefone preto
  • Encurralado
  • A capa
  • Último suspiro
  • Madeira morta
  • O desjejum da viúva
  • Bobby Conroy volta dos mortos
  • A máscara do meu pai
  • Internação voluntária

Já começamos com o conto que foi o meu favorito do livro. Em "O melhor do novo horror", temos a história de um editor de uma revista sobre contos de horror que, dentre inúmeros contos que ele julga ordinários, um conto chama muito sua atenção. Ele inicia então uma busca pelo autor e descobre coisas bem bizarras sobre o tal rapaz.

O segundo conto, "Fantasma do século XX", inspiração para o título do livro, é a história de uma garota que morreu e passa a assombrar pessoas em um cinema retrô, aparecendo em determinados filmes.

"Pop Art" ficou em segundo lugar de favorito, pois é um conto marcante e você nunca mais olhará para um boneco inflável da mesma forma. Art é um menino inflável. Sua história é narrada pelo seu melhor amigo, um menino comum. Através das páginas temos a trajetória, sonhos e dificuldades que Art vivencia pela sua condição. Este conto é agridoce, de uma sensibilidade sem fim. Ao mesmo tempo que parece ser engraçado, também é triste e intrigante.

Você vive uma vida de astronauta quer queira, quer não. Deixa tudo para trás em troca de um mundo que desconhece. Simplesmente é assim que acontece. - Art (menino inflável), do conto Pop Art
"Vocês irão ouvir o canto do gafanhoto" é uma versão bizarra do famoso clássico Metamorfose de Franz Kafka. Um rapaz ao acordar para mais um dia em sua vida monótona, percebe que se transformou em um inseto gigante e asqueroso. As descrições que Joe Hill faz farão você ficar completamente enojado, com sentimento de horror mesmo.

Em "O telefone preto" temos uma história de um menino raptado por um suposto serial killer, então para quem gosta desse tema, assim como eu, vai achar o conto bem interessante.

Outro conto peculiar é "A máscara do meu pai". Uma família muito estranha vai para uma casa de campo reclusa para fugir, segundo eles, "das pessoas do baralho". Lá eles têm que usar máscaras e realizar bizarrices sexuais. O filho do casal quem narra a história.

"Internação voluntária" foi meu terceiro conto favorito. Quem escreve é um rapaz perturbado sobre seu irmão com problemas mentais que construía verdadeiras fortalezas com caixas de papelão vazias, que ocupavam cômodos inteiros. O mais estranho é o que acontecia lá dentro desses labirintos. Você terá que ler esse conto para descobrir. ;)
Ainda consigo seguir em frente por mais algum tempo, avançando pelo escuro, pelos espaços apertados das minhas próprias lembranças. Quem sabe o que pode haver depois da próxima curva? Talvez em algum lugar adiante haja uma janela. Talvez ela se abra para um campo de girassóis.
Os contos que não citei aqui é porque não foram muito marcantes para mim, mas não deixaram de ser ótimo. Joe Hill escreve muito bem e recomendo a leitura!

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Sorteio do livro ULTRA CARNEM em parceria com a DarkSide Books (ENCERRADO)

É com muita alegria que venho convidá-los para participar do primeiro sorteio do blog! E não poderia ser melhor, pois será em parceria com a nossa editora preferida, a DarkSide Books. Eles entraram em contato comigo para realizarmos esse sorteio e escolhi um lançamento que espero que vocês gostem: é o livro ULTRA CARNEM do autor brasileiro Cesar Bravo.


Era um encontro inevitável. De um lado, a Caveira querendo publicar revelações do terror nacional. Do outro, um farmacêutico carismático com um toque de “O médico e o monstro” desejando dar voz as possibilidades sombrias que corriam em suas veias.
O pacto foi selado em latim e da união entre Cesar Bravo e a editora mais sombria do mercado nasceu um livro visceral. ULTRA CARNEM expande a sua obra mais popular, com quatro histórias que despem o irreal e tem como elo um olhar sarcástico de quem observa o mundo e compreende que na disputa entre o Céu e o Inferno nós somos o prato principal. Narrativas insanas, repletas de pactos, demônios, conversas capciosas, sangue, socos na boca do estômago e... bom, a gente não vai contar tudo.

REGRAS:

- Ter um endereço de entrega no Brasil;
- Não participar com perfis fakes;
- Responder meu e-mail caso você ganhe no máximo em 3 dias úteis;
- O sorteio começa na sexta-feira 13 (13/01/17) e finaliza dia 18/02/17, então fiquem atentos.

COMO PARTICIPAR:

Para participar é muito simples, é só ir seguindo os passos do formulário no final deste post.
Alguns passos são obrigatórios:
- Seguir a página do Estante do Horror no Facebook;
- Seguir a página da DarkSide Books no Facebook;
- Adicionar um e-mail válido (entrarei em contato com o ganhador através desse e-mail, então confira se está certinho).

Alguns passos são opcionais, mais aumentam suas chances de ganhar! São eles:
- Seguir o blog no Twitter;
- Seguir a DarkSide no Twitter;
- Postar um tweet sobre o sorteio (válido 1/x ao dia);
- Seguir o blog no Instagram;
- Seguir a DarkSide no Instagram.


a Rafflecopter giveaway

☠ BOA SORTE A TODOS! 

+++++++++++++ EDITADO: +++++++++++++

A GANHADORA FOI A JANE CARNEIRO. PARABÉNS!

Ela tem 3 dias úteis para responder meu e-mail. Caso não responda, será sorteado um novo ganhador.
Muito obrigada a todos que participaram! Logo logo tem resenha desse livro aqui no blog :)

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

LIVRO: Nosferatu - Joe Hill

Existem dois mundos (...) O mundo real, com os seus fatos e regras irritantes, onde as coisas são ou não verdadeiras, em geral é um saco. Mas as pessoas também vivem no mundo dentro da própria cabeça. Uma paisagem interior, um mundo de pensamento. Nele, as ideias são fatos. As emoções são como a lei da gravidade. Os sonhos, como a História. As pessoas criativas... escritores, por exemplo...   passam grande parte do tempo nos seus próprios mundos de pensamento. Os muito criativos, porém, são capazes de usar uma faca para abrir a costura entre os dois mundos, para juntá-los.

Este é o terceiro livro de Joe Hill, um dos meus autores favoritos! Para quem não conhece, ele é filho do Stephen King e tem se mostrado herdeiro do talento do pai. Neste livro, o escritor recria o clássico conto de vampiros com muito criatividade e maestria. Temos dois personagens centrais: Vic McQueen e Charlie Manx (o tal vampiro).

Vic McQueen é uma garotinha com uma criatividade que vai muito além da capacidade humana média. Enquanto uma pessoa normal pode criar um universo em sua mente, Vic consegue atravessar lugares reais.  Para isso, ela usa sua bicicleta e ao estar em cima dela, pode criar uma ponte que só ela pode atravessar, ligando locais de qualquer distância.  Ao atravessar a ponte, Vic sempre vai parar em um lugar que tem a solução para um problema que ela busca resposta.

Várias pessoas no mundo também tem esse poder, porém nem todas o usam para o bem. A pior delas é Charlie Manx, um vampiro bem diferente do que estamos acostumados: ao invés de sugar sangue, ele suga a alma de crianças e usa um carro para ultrapassar os limites físicos. Ele criou um lugar chamado Terra do Natal e leva para lá as crianças que se tornam também vampiras - elas não envelhecem mais, ficam com uma aparência medonha e Manx se sustenta dessa energia infantil. Para eles, todo dia é Natal!
(...) a Terra do Natal era um lugar situado na quarta dimensão, onde crianças mortas entoavam cantigas de Natal e davam telefonemas interurbanos (...)
Uma de suas miras é Vic, porém ela será a primeira criança que conseguirá fugir de Manx e, ao descobrir seus propósitos obscuros, Vic se torna sua inimiga. Mas Vic está longe de ser uma heroína perfeita. Com toda essa história de pontes, problemas familiares e mais a perseguição vampírica, ela passa da infância à vida adulta cheia de defeitos, o que traz justamente sua individualidade e nos faz gostar dela.


Para mim o autor pecou nas descrições prolongadas, coisa que não foi tão forte em seus dois livros anteriores ("A Estrada da Noite" e "Amaldiçoado"). É uma leitura longa, mais de 600 páginas, porém com capítulos curtos. A história se desenrola mesmo nas últimas 100 páginas e tem um final um tanto inesperado e satisfatório.

Uma coisa interessante deste livro são as várias músicas citadas, principalmente músicas natalinas, tanto que fiz uma playlist delas no Spotify para ser ouvida enquanto você lê. Recomendo esse combo que traz um clima macabro à leitura.
O Natal já passara fazia praticamente três meses e havia algo desagradável no fato de ouvir canções natalinas quase no verão. Era como ver um palhaço debaixo da chuva, com a maquiagem escorrendo.

Apesar deste ser o livro que menos me fisgou do autor, é muito bem escrito e esse Joe Hill ainda vai dar muito o que falar! O cara é muito bom. O jeito que ele escreve me fascina.
Nota: ★ ★ ★ ★ ☆

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Os Funko Pop mais legais para quem ama Filmes de Terror

Muitas pessoas adoram os bonequinhos Funko Pop, e eu sou uma delas. Acho incrível a variedade de personagens que eles produzem, o que dá mais vontade ainda de colecionar. Quem ama filmes de terror, vai ficar louco para ter na sua coleção esses abaixo!





quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

LIVRO: Serial Killers, Anatomia do Mal - Harold Schechter


*** ATENÇÃO! Livro não recomendado para menores de 18 anos e para pessoas sensíveis. Contém descrições detalhadas de assassinatos extremamente violentos. ***

Serial Killers, Anatomia do Mal do autor Harold Schechter é um livro indispensável para quem gosta de tema. Isso porque essa edição publicada pela DarkSide Books em capa dura, com 480 páginas, com uma imensa riqueza de detalhes e inúmeras figuras, fotos e ilustrações, é repleta com histórias de serial killers do mundo todo, principalmente dos Estados Unidos, país que investe bastante na investigação desses assassinos. 

O livro é dividido em 9 capítulos. Em cada capítulo, o autor se aprofunda em algum aspecto, desde a origem do termo, características dos serial killers e tipos, a sexualidade dos assassinos, motivações, como planejam e executam seus assassinatos, como ocorrem as investigações, como eles são pegos (ou não) e quais são os desfechos.


Dentre os tópicos discutidos, são citados serial killers para exemplificar e dentre essas discussões, temos os "estudos de caso", em que o autor aprofunda sobre um determinado serial killer, que são partes bem interessantes do livro.


Um dos casos que mais me chocou foi de Albert Fish, considerado "o pior pervertido do mundo". Além de assassinar crianças inocentes, ele foi diagnosticado com nada mais, nada menos do que 17 tipos diferentes de parafilias, algumas já conhecidas e algumas que ele mesmo deve ter inventado. Parafilia são perversões sexuais, muitas vezes bizarras. Segue um trecho chocante (não leia se você for sensível):

(...) Fish descreveu algumas de suas atividades favoritas: enfiar algodão encharcado com álcool no reto e botar fogo, por exemplo; ou introduzir o talo espinhento de uma rosa no pênis, se olhar no espelho e depois retirar a rosa e comer as pétalas. Quando os carcereiros notaram que Fish tinha dificuldade para se sentar, ele explicou que gostava de enfiar agulhas de costura na genitália e deixá-las lá. Ninguém acreditava nele, até que um raio X revelou a presença de mais de duas dezenas de agulhas alojadas em sua região pélvica.


Há um capítulo no livro dedicado a explorar mais sobre os "dez monstros americanos", cheio de imagens e com uma edição toda especial com a página preta e letras brancas. A DarkSide Books caprichou demais nesse livro meeeeesmo! ♥


Para terminar o livro, o autor faz uma análise dos serial killers na cultura pop, citando obras de arte, música, literatura, filmes, séries e pontos turísticos relacionados aos assassinos em série. Então esse livro é uma porta de entrada para o leitor conhecer muito mais.



Esse livro tem um único defeito: Harold Schechter acaba repetindo muitas vezes sobre os mesmos serial killers, às vezes até repetindo literalmente fatos que foram citados à poucas páginas atrás, mas usando para exemplificar outro assunto que ele está tratando. Se for uma leitura de apenas uma parte do livro, isso não afeta, mas quem está lendo o livro todo, torna um pouco repetitivo. Mas nada que tire o mérito desse livro, afinal quando eu for usar para consultas de capítulos individuais, essa repetição será útil. Enfim, leitura ultra recomendada!
Nota: ★ ★ ★ ★ ★

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

9 Serial Killers reais que inspiraram personagens de American Horror Story



*** ALERTA DE SPOILERS! ***

American Horror Story é uma série de horror-drama, criada e produzida por Ryan Murphy e Brad Falchuk. Em cada temporada, há uma história diferente (leia mais sobre a série aqui e aqui) e em praticamente todas as temporadas temos algum personagem serial killer, muitos deles inspirados por assassinos reais, confira:

Tate Langdon (1ª temp.) - Massacre do ColumbineEmbora o famoso Massacre de Columbine não tenha sido um caso de assassinatos em série, e sim de assassinatos em massa, vale à pena citar aqui. Em 1999, os estudantes Dylan Klebold e Eric Harris entram na Columbine High School e provocam pânico ao matar 13 pessoas e deixar várias feridas. Há uma cena bem parecida na série, claramente inspirada nesse massacre, protagonizada pelo personagem Tate Langdom, sendo uma das cenas mais marcantes da temporada.


Dr. Oliver Thredson - Blood Face (2ª temp.) - Ed GeinO Dr. Oliver Thredson tinha objetos de decoração bizarros, usando pele humana, além de possuir uma máscara também feita com pele, daí o apelido "blood face" ("cara sangrenta"). O personagem foi inspirado em um dos serial killers mais conhecidos, Ed Gein. Ed vivia recluso em uma fazenda com sua mãe, a qual idolatrava, ainda que a mesma o trata-se feito lixo. Após a sua morte, Ed começou a recolher partes de corpos de cemitérios para decorar sua casa, além de cometer alguns assassinatos de mulheres parecidas com a falecida mãe. Ele também tinha uma roupa de pele humana que usava para caminhar pela fazenda à noite. Suas bizarrices inspiraram vários filmes, dentre eles o famoso Psicose, que por sua vez inspirou também a série Bates Motel.


Madame LaLaurie (3ª temp.) - Delphine LaLaurieDelphine LaLaurie, conhecida como Madame LaLaurie, viveu no século XVIII e supostamente ajudou a torturar, mutilar e matar cerca de 96 escravos negros. É retratada na série pela personagem de mesmo nome, interpretado pela atriz Kathy Bates.


Dandy Mott e Twisty, O Palhaço (4ª temp.) - John Wayne Gacy: Ambos personagens foram inspirados pelo serial killer John Wayne Gacy. Como muitos serial killers, Gacy escondia seus crimes terríveis através de uma vida aparentemente normal: um bom empresário, bom cristão e um dos seus hobbies era se vestir de palhaço e alegrar crianças hospitalizadas.


A 5ª temporada (Hotel) tem um monte de serial killers!

Já a 5ª temporada da série é um prato cheio para quem gosta de histórias sobre serial killers. Temos a Condessa Elizabeth, interpretada por Lady Gaga e inspirada em Elizabeth Bathory, conhecida por usar sangue de mulheres virgens que ela acreditava ser um segredo para preservar a beleza e juventude. Na série, a Condessa Elizabeth é uma vampira.


O personagem James Patrick March, encarnado por Evan Peters, foi inspirado no serial killer H. H. Holmes, um assassino que criou uma mansão, a qual ele mesmo apelidou de "castelo", com mais de 100 quartos, passagens secretas e várias armadilhas onde cometia seus crimes. Em um período, H. H. Holmes abriu as portas dos seu castelo do horror para turistas de passagem, que obviamente sumiram. Na série, é a mesma premissa: James Patrick March é um fantasma serial killer dono de um grande hotel.


Daí como se não bastasse terem esses dois personagens fortes na temporada, temos um episódio genial em que James Patrick March realiza seu jantar anual, chamado Devil's Night Dinner, onde convida ninguém mais, ninguém menos que alguns dos serial killers mais conhecidos do mundo. São eles: Aileen Wuornos, John Wayne Gacy, Jeffrey Dahmer, Richard Ramirez e O Assassino do Zodíaco. Pra mim esse foi um dos pontos altos da temporada.


Espero que tenham gostado do post. Sou muito fã dessa série! Para conferir mais posts sobre serial killers, clique aqui.